domingo, 4 de janeiro de 2009

Passeio a Pedra do Retiro

Acompanhe uma aventura de tirar o folego com muita adrenalina, emoção e o melhor muita natureza preservada.



Com 1.541 m - é uma montanha em potencial a ser explorado.


Apesar de possuir enorme potencial para a conquista de diversas novas rotas, com cerca de 500 a 600 m de extensão, a Pedra do Retiro ainda está pouco explorada e conta com apenas quatro vias concluídas, além de outras abandonadas. Por ser uma das maiores elevações da região, desperta bastante a atenção de quem a vê, mesmo ao longe. A Pedra do Retiro, a Serra Negra e o Seio de Vênus estão posicionados de tal forma que, juntos, assemelham-se a uma formação triangular, na qual a primeira representa o vértice inferior da esquerda; a segunda, o ápice do triângulo; e a terceira, o vértice inferior da direita.
Localização: Retiro.
Como chegar: partindo-se do Centro, tomar a Av. Barão do Rio Branco, sentido bairro do Retiro. Após passar pelo Sesi e depois pelo “Sacolão” subir pela Rua Felipe Camarão, à esquerda de quem vai em direção a Corrêas e Itaipava. Após passar pelo Orquidário Binot, tomar a rua da direita, cruzando a ponte, e seguir até o ponto onde a rua fica mais próxima à parede. Neste trecho há um grande bloco de pedra à direita. A partir daí, é só atravessar um córrego e caminhar em direção à base, que está a cerca de 100 m da rua, costeando a pedra em direção à via desejada.
Face Leste
Paredão do Retiro (1º)
Na realidade, esta rota se trata de mais uma alternativa de caminhada para o cume, seguindo a crista leste da montanha, do que uma escalada propriamente dita. Foi a segunda via, com lances de escalada, conquistada em Petrópolis, quinze anos após a conquista da face leste da Maria Comprida, pela Via da Canaleta. Há somente alguns pequenos lances de escalada, na porção superior do trajeto, interligando platôs de mato. Estão distribuídos nestes trechos apenas dois ou três grampos, cujo estado de conservação é desconhecido. A segurança é precária, sendo por várias vezes feita “de ombro”, em platôs de mato e sem grampos.
30/11/1947 - Gabriel Dunley, Geraldo Fiorini, Hugo Dunley, Manoel Lordeiro e Nelson Tesch
Face Nordeste
Pedra do Retiro, Face NE (4º IVsup)300 m



Primeira via a ser aberta na face nordeste do Retiro, sua conquista havia sido interrompida pouco acima do 2º grande platô, a cerca de 100 m do cume. Anos mais tarde, por desconhecimento de sua existência, teve vários trechos de sua linha cortados pela Parque Jurássico e, por isto, optou-se por dar a via como concluída no trecho onde havia sido abandonada. O croqui, portanto, não está sendo informado, pois o trajeto passou a se confundir com o da Parque Jurássico. Começa por cima de um pequeno lombo onde a base da parede fica mais alta.


22/08/1981 - Antônio Carlos Magalhães, Giovani Tartari, Ricardo de Moraes e Sérgio Tartari


Parque Jurássico, Pr. (5º VIIa)630 m
Totalmente em livre, a Parque Jurássico é uma das maiores vias de escalada da cidade. As proteções são distantes, apesar de a via ser fácil em sua maior parte. Os poucos lances mais difíceis geralmente são bem protegidos. São necessários friends 2 e 3, duas cordas de 55 m (apenas uma se for descer pela caminhada), diversas fitas, 1 piton angle grande, 1 lost-arrow médio e 1 marreta. É melhor descer pela caminhada do que pela parede, pois o rappel é complicado, principalmente nos dois últimos esticões (P8 e P9), onde existem muitas pedras soltas. A via está localizada à esquerda de um grande deslizamento e de uma via abandonada que possui apenas 3 grampos de 1/2” com olhal pequeno, bem próximos uns dos outros.


04/03/2001 - Alex Sandro Ribeiro “Che”, Jorge Fernandes e Ricardo Rocha
4 e 5. projetos
Face Norte
6. Milium, Pr. (3º)

Apesar de passar pela crista norte da Pedra do Retiro e, por isto, receber bastante sol durante praticamente todo o dia, a parede apresenta muita vegetação e umidade. A via é extensa e desconhece-se o atual estado de sua grampeação.


1980 - Leonardo Alvarez, Luís Cláudio Jatobá e Tereza Aragão

0 comentários:

 
©2008 'Aventura na Veia' Por Luciano Ribeiro