quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Morre no FitzRoy/Argentina, alpinista brasileiro Bernardo Collares


O escalador mineiro e presidente da Femerj (Federação de Montanhismo do Rio de Janeiro), Bernardo Collares, 46, foi dado como morto após um acidente de escalada na região de El Chaltén, na Patagônia argentina.

O acidente aconteceu na descida da escalada, durante uma manobra de rapel, após Collares ter conquistado o cume do monte FitzRoy com a companheira de escalada Kika Bradford.

Com a queda, ainda muito próximo ao topo, o alpinista fraturou a bacia, sofreu uma hemorragia interna e ficou impossibilitado de continuar descendo.

Sua companheira de escalada deixou um saco de dormir e algumas provisões com ele, desceu às pressas em busca de socorro, mas sua jornada até o povoado de El Chaltén demorou dois dias e duas noites, debaixo de uma tormenta.

Ao chegar em El Chaltén, ela foi recebida por médicos, autoridades locais e uma equipe de escaladores experientes que, em unanimidade, concordaram que não fazia sentido voltar ao cume para tentar resgatá-lo com vida. Ele foi dado como morto na segunda-feira (3). O corpo continua no local, e seu resgate depende das condições climáticas.

Em mensagem publicada em seu perfil no Facebook, o alpinista relatou no dia 29 de dezembro que a primeira janela meteorológica que possibilitava a escalada se revelou "furada". "Vento fortíssimo em Piedra Negra, de jogar no chão. Todo mundo desceu, e aqui na cidade [está] maior calor, sem vento. Mas tem outra [janela] vindo, vamos ver se é de verdade essa. Depois de amanhã subimos de novo", escreveu.

O monte FitzRoy é uma agulha de granito e sua escalada é considerada uma das mais perigosas e técnicas da Patagônia argentina. Bernardo era considerado um escalador experiente entre membros da comunidade brasileira de alpinistas.

"Uma grande perda. Bernardo era um dos mais importantes agentes de organização do montanhismo brasileiro e fará muita falta entra nós", disse o escalador e presidente da Femesp (Federação de Montanhismo de São Paulo), Silverio Nery, em depoimento à Folha.

Respeitado por sua postura e luta pelo reconhecimento da categoria junto às autoridades brasileiras, Collares deixou o montanhismo brasileiro de luto nesta quarta-feira, dia em que a notícia de sua morte chegou ao Rio.

Collares era solteiro e não deixou filhos.


Luciano Ribeiro
www.aventuranaveia.blogspot.com

Fonte: Folha.com

0 comentários:

 
©2008 'Aventura na Veia' Por Luciano Ribeiro